Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Histórico do Dogma da Imaculada Conceição



Histórico do Dogma da Imaculada Conceição


O pecado original é uma realidade misteriosa e pouco evidente para nós enquanto comporta um prolongamento da culpa dos progenitores a todos nós. Neste dia nós o consideramos na sua conspícua exceção ou melhor no seu singular privilégio concedido a Maria, que foi dele preservada desde o primeiro instante de sua concepção, de sua existência humana.



O valor doutrinal desta festividade é manifesto na oração da Missa da Imaculada Conceição, que sublinha o privilégio concedido à futura Mãe de Deus; "Ó Deus, que pela Imaculada Conceição da Virgem preparastes ao vosso Filho uma morada digna dele...", e a própria natureza deste privilégio, enquanto não subtrai Maria à Redenção universal efetuada por Cristo: "Vos que a preservastes de toda a mancha na previsão da morte do vosso Filho..."Antes que Pio IX com a bula Ineffabilis Deus de1854 definisse solenemente o dogma da Imaculada Conceição, não obstante as hesitações de alguns teólogos, que podiam apelar para o próprio santo Tomás de Aquino, tinha-se chegado a um desenvolvimento não só da devoção popular para com a Imaculada mas também nas intervenções dos papas a favor desta celebração.



Antes que o calendário romano incluísse a festa em 1476, esta já havia aparecido no Oriente no século sétimo, e contemporaneamente, na Itália meridional dominada pelos bizantinos.Em 1570, S. Pio V publicou o novo Ofício e finalmente em 1708 Clemente XI estendeu a festa, tornando-a obrigatória, a toda a cristandade. Mas desde a origem do cristianismo Maria foi venerada pelos fiéis como a TODA SANTA. No primeiro esboço da festa litúrgica da Conceição, anterior ao século sétimo, nota-se, se não a profissão explícita da isenção da culpa original, pelo menos uma persuasão teologicamente equivalente. "Potuit, decuit, ergo fecit", havia argumentado um brilhante teólogo medieval: "Deus podia faze-lo, convinha que o fizesse, portanto o fez."



Do infinito amor de Cristo para com a Mãe, que a pré-redimiu e acumulou do Espírito Santo desde o primeiro instante da sua existência, derivou este singular privilégio, que a Igreja hoje celebra para nos fazer meditar não só sobre a beleza de toda alma santificada pela graça redentora de Cristo. Quatro anos após a proclamação do dogma da Imaculada Conceição, a Virgem apareceu a Santa Bernadete Soubirous. Para a menina que, timidamente perguntava: "Senhora, quer ter a bondade de me dizer o seu nome?", Maria respondeu: "Eu sou a Imaculada Conceição."



Origem da Medalha Milagrosa


Em 27 de novembro de 1830, na Capela das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, em Paris, a santíssima Virgem se manifestou à humilde noviça Catarina Labouré. A virgem apareceu sobre um globo, pisando uma serpente e segurando nas mãos um globo menor, oferecendo-o a Deus, num gesto de súplica. Maria fala, então à feliz vidente: "Este globo representa o mundo inteiro...e cada pessoa em particular".
De repente, o globo desapareceu e suas mãos se estenderam suavemente, derramando sobre o globo, brilhantes raios de luz. Formou-se assim um quadro oval, rodeado pelas palavras: "Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós". Virou-se então o quadro, aparecendo no reverso um "M" encimado por uma cruz e, embaixo, os corações de Jesus e de Maria. E Santíssima Virgem lhe pede: "Faça cunhar uma medalha conforme este modelo". E promete: "As pessoas que a trouxerem, com fé e confiança, receberão graças especiais".
E assim foi cunhada, em Paris, esta medalha, que logo se espalhou pelo mundo inteiro, derramando graças tão numerosas e extraordinárias, que o povo passou espontaneamente a chamá-la: "Medalha Milagrosa".Esta é a origem da "sua Medalha", da "minha Medalha", sinal certo da presença de Maria no mundo de hoje, para protegê-lo e levá-lo para Cristo. Divulguem a Medalha Milagrosa, como sinal e mensagem de Maria.



A própria medalha contém as palavras por que a Santa Mãe de Deus quis ser invocada:Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós. Essa inscrição já sintetiza boa parte da mensagem que a Virgem Mãe revelou: a Imaculada Conceição, pela primeira vez revelada ao mundo, em 1858 ratificada em Lourdes, e transformada em dogma pelo Papa Pio IX, com a bula Ineffabilis Deus, e a mediação da Mãe de Deus junto ao seu Divino Filho. Usar essa invocação, portanto, significa acreditar que a Virgem das virgens é a Medianeira imaculada.

Simbolismo da Medalha Milagrosa: A serpente: Maria aparece esmagando a cabeça da serpente. A mulher que esmaga a cabeça da serpente, que é o demônio, já estava predita na bíblia, no livro do Gêneses: "Porei inimizade entre ti e a mulher... Ela te esmagará a cabeça e tu procurarás, em vão, morder-lhe o calcanhar". Deus declara iniciada a luta entre o bem e o mal. Essa luta é vencida por Jesus Cristo, o "novo Adão", juntamente com Maria, a co-redentora, a "nova Eva". É em Maria que se cumpre essa sentença de Deus: a mulher finalmente esmaga a cabeça da serpente, para que não mais a morte pudesse escravizar os homens.

Os raios: Simbolizam as graças que Nossa Senhora derrama sobre os seus devotos. A Santa Igreja, por isso, a chama Tesoureira de Deus. As 12 estrelas: Simbolizam as 12 tribos de Israel. Maria Santíssima também é saudada como "Estrela do Mar" na oração Ave, Stella Maris.
O coração cercado de espinhos: É o Sagrado Coração de Jesus. Foi Maria quem o formou em seu ventre. Nosso Senhor prometeu a Santa Margarida Maria Alacoque a graça da vida eterna aos devotos do seu Sagrado Coração, que simboliza o seu infinito e ilimitado Amor. O coração transpassado por uma espada: É o Imaculado Coração de Maria, inseparável ao de Jesus: mesmo nas horas difíceis de Sua Paixão e Morte na Cruz, Ela estava lá, compartilhando da Sua dor, sendo a nossa co-redentora.
O M: Significa Maria. Esse M sustenta o travessão e a Cruz, que representam o calvário. Essa simbologia indica a íntima ligação de Maria e Jesus na história da salvação.
O travessão e a Cruz: Simbolizam o calvário. Para a doutrina católica, a Santa Missa é a repetição do sacrifício do Calvário, portanto, ressaltam a importância do Sacrifício Eucarístico na vida do cristão.


fontes :wikipedia / Santuário da Medalha Milagrosa

Deixe aqui o seu Comentário