Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 28 de abril de 2010

28 de Abril de 2010 - São Luiz Maria Grignion de Montfort

S. Luís de Montfort, um apóstolo de Maria e dos pobres

S. Luís Maria de Montfort nasceu a 31 de Janeiro de 1673, num pequeno vilarejo chamado Montfort, localizado na Bretanha francesa. Foi batizado no dia seguinte ao seu nascimento. Era o filho primogênito de uma família numerosa.


Com 11 anos deu entrada no colégio dos jesuítas de Rennes, onde recebeu uma sólida formação humana e espiritual. Aí conclui o curso de filosofia em 1692. Sentindo-se chamado ao sacerdócio decide ir em 1693 para Paris de modo a poder ingressar no Seminário de S. Sulpício, em vista dos estudos teológicos que freqüenta na Universidade de Sorbonne. Recebe uma formação teológica apurada e sistemática na qual apoiará sempre o seu trabalho missionário. Revela-se um aluno brilhante tanto nas ciências teológicas quanto na “ciência dos santos”. É ordenado sacerdote a 5 de Junho de 1700. Tinha decidido ser padre para se consagrar à causa da evangelização dos povos em países estrangeiros, socorrer os pobres e proclamar o “Reino de Jesus Cristo por Maria”.


Em Julho de 1706 vai a Roma a pé para ser recebido pelo Papa Clemente XI para que o confirmasse na sua vocação missionária. É recebido no dia 6 de Julho desse ano. O Papa confere-lhe o título de Missionário Apostólico e lhe pede para ser missionário na França “renovando o espírito do cristianismo nos cristãos”. Em obediência ao Papa, Montfort tornou-se num missionário exímio e destacou-se pela sua grande devoção a Nossa Senhora. Para dar continuidade ao seu ardor missionário fundou a Congregação dos Missionários Monfortinos, a Congregação das Filhas da Sabedoria e dos Irmãos de S. Gabriel. Como complemento à sua atividade missionária escreveu vários livros com destaque para o Tratado da Verdadeira Devoção a Maria.


 
Montfort legou à Igreja uma espiritualidade original, centralizada na Sabedoria e nos meios para alcançá-la; entre esses meios se destaca Maria. Uma espiritualidade que leva a uma consagração total a Jesus por Maria. Morreu a 28 de Abril de 1716, com 43 anos, após ter realizado mais de uma centena de missões populares. Foi beatificado em 1888 e canonizado, em Roma, em 1947 pelo Papa Pio XII.


 
S. Luís Maria santificou-se como missionário itinerante, devorado pelo zelo pela evangelização dos pobres. Levava sempre consigo a Bíblia, o crucifixo, o rosário, símbolos e síntese da sua própria experiência espiritual e da mensagem que proclamava: dar a conhecer e amar a Santíssima Virgem para fazer conhecer e amar a Jesus Cristo.


Conhecer a vida e a obra de S. Luís de Montfort é percorrer uma estrada que nos leva àquela fonte da qual emana a nossa vocação, para aí bebermos a mesma audácia e o mesmo ímpeto missionário que identificaram este santo. Com Montfort aprendemos a responder à missão do Espírito e a encarnar o “espírito de missão!” Por isso podemos afirmar que continua a ser, para nós, um guia sempre vivo e atual.

Pe. Amílcar José Alves Tavares, SMM


O Tratado da Verdadeira Devoçào a Maria Santíssimo segundo São Luís M. Grignion de Montfort


"A verdadeira devoção é: interior, dócil, santa, constante, intensa.
Interior: da mente e do coração pela estima em Maria
Dócil: confiar como uma criança na Mãe
Santa: leva a alma a evitar o pecado e imitar as virtudes.
Devoção constante: A faz corajosa ao mundo

Não serás:
Nem inconstante, nem aflito, nem escrupuloso, Nem temeroso

Devoção desinteressada: leva a alma ao encontro não de si mesma ma de Deus somente na Sua Santa Mãe.

As práticas interiores:

1 - Honrá-la como digna Mãe de Deus

2 - Meditar as Suas virtudes, os seus privilégios e as suas ações

3 - Admirar as Suas grandezas

4 - Oferecer atos de Amor, de louvor e de reconhecimento

5 - Invocá-la cordialmente

6 - Oferecer-se e unir-se a Ela

7 - Fazer as próprias ações para agradá-la

8 - Começar, continuar e terminar todas as ações por meio Dela, Nela, com Ela, para Ela.

Tu deves te convencer que quanto mais terá Maria nas suas orações, contemplações, ações e sofrimentos, se não com um olhar distinto e consciente, pelo menos com um geral e imperceptível, encontrarás em perfeição Jesus Cristo, o qual está sempre com Maria, grande, potente, operante e incompreensível, e isto mais ainda que no céu e em qualquer outro criatura do universo. Assim Maria, toda perdida em Deus, não se transforma em um obstáculo aos perfeitos para alcançar a união com Deus.Quando Maria nos ampara não cais, quando te protege não temes, quando te conduz não te canses: quando te é favorável chegues ao porte da salvação (S. Bernardo).


Mesmo que se traçasse uma estrada nova para ir à Jesus Cristo e esta estrada fosse ladrilhada com todos os méritos dos beatos, decorada com todas as suas heróicas virtudes, clareada e embelezada com toda a luz e a beleza dos Anjos, e se tivessem todos os Anjos e Santos para conduzir, defender e suportar aqueles que querem caminhar nela: na verdade, eu digo ardentemente que preferirei a esta estrada, assim perfeita, à estrada imaculada de Maria: "Fez íntegro o meu caminho" (Sal 18,33). E’ um caminho sem nenhuma mancha, nem imundície, sem pecado original nem atual, sem sombras nem escuridão..

Nenhum comentário:

Deixe aqui o seu Comentário