Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Atualização do Flos Carmeli - 26 de Maio, 2017


Estudos Marianos - Terceiro Segredo de Fátima Parte IV

Depoimento da irmã Agnes Sasagawa, acerca da última mensagem de Nossa Senhora em aparição à irmã, em Akita, no Japão. A aparição e os eventos acerca do acontecimento, ocorreram no ano de 1973, no convento "Instituto das Servas da Eucaristia". A Virgem Santíssima falava à irmã Agnes através de uma imagem Sua de madeira que fica na capela do convento.

Os acontecimentos se deram num pequeno convento de Irmãs chamado "Instituto das Servas da Eucaristia". O instrumento que a Virgem Santíssima escolheu para transmitir sua mensagem ao mundo, foi a Irmã Agnes Sasagawa Katsuko. Ela tinha um problema na audição e, por ocasião destes acontecimentos, estava completamente surda.

Na capela das Irmãs havia uma escultura de madeira, em que fora entalhada em forma de Cruz (com aproximadamente um metro de altura) e, em frente à cruz foi esculpida a imagem da Santíssima Virgem, que lhe revelou os anseios do Pai Eterno, quanto a correspondência da humanidade aos apelos dos Céus.

Continuar Lendo...

Veja Também                                                                



Dia 25 - Santa Maria Madalena de Pazzi                            

Santa Maria Madalena de Pazzi (* Florença, 2 de Abril de 1566, + 25 de Maio de 1607) foi uma mística monja carmelita católica italiana. Educada piedosamente, desde cedo demonstrou um sentido profundo da presença de Deus, um amor ardente à Eucaristia e forte inclinação para o espírito de penitência. Aos dezesseis anos foi admitida entre as monjas carmelitas do Mosteiro de Santa Maria dos Anjos da sua cidade.A uma intensa vida espiritual aliou a observância dos votos religiosos e levou uma vida escondida de oração e abnegação. Pedia incessantemente pela reforma da Igreja, e dirigiu as suas irmãs no caminho da perfeição...Continuar Lendo

16 de Maio - São Simão Stock                                              


Em 1251, Frei Simão Stock convocou um Capítulo Geral pedindo a toda a Ordem que rezasse noite e dia pela resolução do problema. Acudiram ao Céu e ao Papa. S. Simão liderava esta campanha rezando com insistência à Mãe do Carmo para que deles se compadecesse. Um dia em que, como tantas vezes, rezava a oração do «Flos Carmeli», apareceu-lhe a Virgem Maria na sua cela e entregou-lhe o Escapulário dizendo que este símbolo era o sinal da sua protecção para com os carmelitas e para quem a partir de então o usasse. Pensa-se que esta aparição se deu na noite de 15 ou 16 de Julho. Era o ano de 1251...Continuar Lendo

Liturgia do Dia:                                                                       

Festa da Ascensão do Senhor – 1a. classe - Forma Extraordinária do Rito Romano - Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianey - Ordo Próprio 
Santo Evangelho (Mt 28,16-20) 

Naquele tempo, os onze discípulos foram para a Galileia, ao monte que Jesus lhes tinha indicado. Quando viram Jesus, prostraram-se diante dele. Ainda assim alguns duvidaram. 

Então Jesus aproximou-se e falou: “Toda a autoridade me foi dada no céu e sobre a terra. Portanto, ide e fazei discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, 20e ensinando-os a observar tudo o que vos ordenei! 
Eis que estarei convosco todos os dias, até o fim do mundo”.

Sentido da Ascensão na vida da Igreja

Um dos Mistérios da Vida de Cristo que nós proclamamos em nossa Profissão de Fé é a sua Ascensão. Cremos que Ele, após sua Ressurreição e suas Aparições, subiu aos céus e sentou-se a direta de Deus Pai Todo-Poderoso. Vejamos o que significa esta nossa afirmação de fé.

Conforme a Sagrada Tradição, Já por volta do ano 388 podemos ver o testemunho de São Gregório de Nissa sobre a celebração da Solenidade da Ascensão do Senhor no Oriente. Ela era a festa da “volta do Cristo ao Pai”, fixada quarenta dias após a Festa da Páscoa em consonância com o relato bíblico lucano. Este é o testemunho mais antigo que temos desta celebração. Santo Agostinho, também, testemunha a Festa da Ascensão com seus sermões na Igreja Ocidental, no século V.

O Mistério da Ascensão está intimamente ligado ao da Encarnação e ao da Parusia. No Mistério da Encarnação, a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade assume a natureza humana para redimí-la e fazê-la participante da glória divina. Para isso ela “desce”, esvazia-se de sua glória, toma a condição de homem-servo e vai até o extremo da morte. O Mistério da Ascensão é a concretização daquilo que se iniciou na Encarnação. Cristo “sobe”, é exaltado e glorificado. Todavia, leva junto a nossa natureza e a faz participar plenamente de sua condição. Assim, Encarnação e Ascensão são início e fim de um mesmo movimento de levar o homem a participar da Vida de Deus.

A Ascensão, por sua vez, só alcança inteiramente sua eficácia na Parusia. É no fim que todos os homens serão apresentados por Cristo ao Pai para tomarem posse da vida bem aventurada. O que vemos hoje na Ascensão do Senhor é nossa esperança de, também, com Ele, participarmos da glória divina.


Pe. Vitor Gino Finelon
Professor das Escolas de Fé e Catequese
Mater Ecclesiae e Luz e Vida
Arq. do Rio de Janeiro

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Atualizações do Flos Carmeli - 25 de Maio 2017


Banner do Site: Mosaico  representando Cristo na Glória Celeste, ladeado de sua Mãe Santíssisma Theotokos e do Arcanjo Gabriel. No livro em suas mãos lê-se a inscrição EIPHNH YMIN. EΓΩ EIMI TO ΦΩC TOY KOCMOY. "A paz esteja convosco". O Mosaico esta justaposto na porta imperial da Igreja Hagia Sophia - Istambul - Antes Basílica Ortodoxa, depois convertida em Mesquita. Hoje, porém, Museu. Visite aqui um histórico desse local em Língua Galesa..
Série - O Terceiro Segredo de Fátima

Voce acompanha conosco uma série de Estudos sobre o Terceiro Segredo de Fátima. Perdeu a sequência ? Veja as sinopses e clique nos links abaixo para copiar ou compartilhar.

"Em 26 de Dezembro de 1957,o então postulador das causas de beatificação de Francisco e Jacinta Marto, Padre Agustín Fuentes, encontrou-se com a Irmã Lúcia no seu convento em Coimbra. Depois de falar com Lúcia, o Padre Fuentes publicou um relatório do encontro com “todas as garantias de autenticidade e com aprovação episcopal, incluindo a do Bispo de Fátima”.

Ao falar com o Padre Fuentes, a Irmã Lúcia concentrou-se na data de 1960, que se ia aproximando, e num castigo ainda maior do que a 2ª Guerra Mundial e a propagação do Comunismo, que já era manifesta – castigo este que ela revela estar predito no Terceiro Segredo: "Senhor Padre, a Santíssima Virgem está muito triste, por ninguém fazer caso da Sua Mensagem, nem os bons nem os maus: os bons, porque continuam no seu caminho de bondade, mas sem fazer caso desta Mensagem; os maus, porque, não vendo que o castigo de Deus já paira sobre eles por causa dos seus pecados, continuam também no seu caminho de maldade, sem fazer caso desta Mensagem. " Link da Postagem/ Ler tudo


Em 13 de Maio de 1982, durante a sua viagem a Fátima a seguir à tentativa de assassínio, o Papa João Paulo II ligou novamente a Mensagem de Fátima a acontecimentos apocalípticos não mencionados nas duas primeiras partes. No seu sermão, citado mais atrás, o Papa revelou que Nossa Senhora de Fátima tinha dado o que Pio XII chamara “um aviso divino” sobre um ataque aos dogmas da Fé: Poderá a Mãe, que deseja a salvação de todos os homens, com toda a força do seu amor que alimenta no Espírito Santo, poderá Ela ficar calada acerca daquilo que mina as próprias bases desta salvação? Não, não pode!” Link da Postagem/ Ler Tudo


Em 13 de Maio de 2000 João Paulo II renovou a temática apocalíptica que Paulo VI apresentara em Fátima 33 anos antes, ligando mais uma vez Nossa Senhora de Fátima ao Capítulo 12 do Livro do Apocalipse.

Na sua homilia, durante a Missa de beatificação de Jacinta e Francisco, João Paulo II declarou: Por desígnio divino, veio do Céu a esta terra, à procura dos pequeninos privilegiados do Pai,

“uma Mulher revestida com o Sol” (Apoc. 12: 1). Fala-lhes com voz e coração de mãe: convida-os a oferecerem-se como vítimas de reparação, oferecendo-Se Ela para os conduzir, seguros, até Deus... “E apareceu no Céu outro sinal: um enorme dragão vermelho” (Apoc. 12: 3).

Estas palavras da primeira leitura da Missa fazem-nos pensar na grande luta que se trava entre o bem e o mal, podendo-se constatar como o homem, pondo Deus de lado, não consegue chegar à felicidade, antes acaba por destruir-se a si próprio... A mensagem de Fátima é um apelo à conversão, alertando a humanidade para não fazer o jogo do “dragão” que, com a “cauda, arrastou um terço das estrelas do Céu e lançou-as sobre a terra” (Apoc. 12: 4). A meta última do homem é o Céu, sua verdadeira casa, onde o Pai celeste, no seu amor misericordioso, por todos espera…Link da Postagem/ Ler Tudo





Artigo  - Corrupção Epidêmica
Por Dom Fernando Rifan

Certa vez, um rei perguntou aos seus ministros a causa de o dinheiro público não chegar ao seu destino como quando saiu da sua fonte. Um ministro mais velho, sentado na outra cabeceira da mesa, tomou uma grande pedra de gelo e pediu que a passassem de mão em mão até o Rei. Quando a pedra lá chegou estava bem menor. O ministro então disse: é essa a explicação: “passa por muitas mãos e sempre deixa alguma coisa”. 

A corrupção é considerada pela ONU o crime mais dispendioso de todos, causa de muitos outros. A corrupção propicia a ocupação de cargos por pessoas indignas, manobras políticas, compra de votos, licitações desonestas, o desvio, a malversação e o desperdício do dinheiro público, a impunidade, o tráfico de drogas, a sua veiculação nos presídios etc.


“Aquele que ama o ouro não estará isento de pecado; aquele que busca a corrupção será por ela cumulado. O ouro abateu a muitos... Bem-aventurado o rico que foi achado sem mácula... Quem é esse homem para que o felicitemos? Àquele que foi tentado pelo ouro e foi encontrado perfeito está reservada uma glória eterna:... ele podia fazer o mal e não o fez” (Eclo 31, 5-10). São palavras de Deus para todos nós. Continuar Lendo...


Estudos Marianos - Terceiro Segredo de Fátima - Parte III



S. João Paulo II – 2000: a “solução de compromisso”

Em 13 de Maio de 2000 João Paulo II renovou a temática apocalíptica que Paulo VI apresentara em Fátima 33 anos antes, ligando mais uma vez Nossa Senhora de Fátima ao Capítulo 12 do Livro do Apocalipse.

Na sua homilia, durante a Missa de beatificação de Jacinta e Francisco, João Paulo II declarou: Por desígnio divino, veio do Céu a esta terra, à procura dos pequeninos privilegiados do Pai,

uma Mulher revestida com o Sol” (Apoc. 12: 1). Fala-lhes com voz e coração de mãe: convida-os a oferecerem-se como vítimas de reparação, oferecendo-Se Ela para os conduzir, seguros, até Deus... “E apareceu no Céu outro sinal: um enorme dragão vermelho” (Apoc. 12: 3).

Estas palavras da primeira leitura da Missa fazem-nos pensar na grande luta que se trava entre o bem e o mal, podendo-se constatar como o homem, pondo Deus de lado, não consegue chegar à felicidade, antes acaba por destruir-se a si próprio... A mensagem de Fátima é um apelo à conversão, alertando a humanidade para não fazer o jogo do “dragão” que, com a “cauda, arrastou um terço das estrelas do Céu e lançou-as sobre a terra” (Apoc. 12: 4). A meta última do homem é o Céu, sua verdadeira casa, onde o Pai celeste, no seu amor misericordioso, por todos espera…


S. João Paulo II - Fátima - Beatificação de Francisco e Jacinta Marto

Na sua solicitude materna, a Santíssima Virgem veio aqui, a Fátima, pedir aos homens e às mulheres para “não ofenderem mais a Deus Nosso Senhor, que já está muito ofendido”. É a dor de Mãe que A faz falar; está em jogo a sorte de seus filhos...118 Aqui encontramos provas daquilo a que Socci chama uma “solução de compromisso” sobre a revelação do Terceiro Segredo: uma homilia papal que revela indirectamente o seu conteúdo apocalíptico. Como já fizemos notar, a Irmã Lúcia também revelou que o Terceiro Segredo está relacionado com o Livro do Apocalipse. 

Em Fátima, João Paulo II não podia ter sido mais explícito. Mas, mais importante ainda, a associação que o Papa fez da Mensagem de Fátima com as “estrelas do Céu” a serem varridas pela cauda do dragão, que aparece nos versículos 3 e 4 do Capítulo 12 do Apocalipse, foi uma ligação inconfundível da Mensagem de Fátima à ameaça de apostasia na Igreja.

Como é que sabemos isto? Sabemos porque a queda de um terço das “estrelas do Céu” é interpretado tradicionalmente como significando a queda de almas consagradas. O Padre Herman B. Kramer discute a exegese tradicional no seu comentário ao Apocalipse, The Book of Destiny, cuja primeira edição, com um imprimatur, foi publicada providencialmente em 1956, apenas seis anos antes da abertura do Vaticano II.


Encontro de S.João Paulo II com a Irmã Lúcia - Maio 2000

Como o Padre Kramer assinala, o símbolo de um terço das estrelas do Céu significa “um terço do clero”, que “seguirá o dragão”. Por meio deste clero apóstata, o demônio provavelmente forçará na Igreja “a aceitação de uma moral não-Cristã, de falsas doutrinas, de compromisso com o erro, ou de obediência às autoridades civis em violação da consciência”. Além disso, “O significado simbólico da cauda do dragão pode revelar que o clero que está maduro para a apostasia está na posse de cargos de influência na Igreja, tendo obtido a promoção através de hipocrisia, engano e lisonja”.

Estes clérigos desviados incluem os “que descuidaram a pregação da verdade ou a admoestação dos pecadores através do bom exemplo, mas antes buscaram a popularidade sendo tolerantes e escravos dos respeitos humanos”, os “que temem pelos seus próprios interesses e não se opõem a práticas malignas na Igreja”, e os bispos “que detestam os sacerdotes virtuosos e que ousam dizer a verdade.”120 Este cenário parece certamente familiar aos Católicos do tempo presente, embora tivesse sido visto com espanto na década de 1950.

O Papa João Paulo II não podia deixar de estar a par do sentido tradicional das passagens apocalípticas que citou em Fátima e ligou à Mensagem de Fátima. O Papa só podia ter estado a evocar o mesmo que a Irmã Lúcia tinha dito ao Padre Fuentes: que a Mensagem de Fátima, na parte que devia ser mantida em segredo até 1960, nos avisa sobre uma deserção em massa de sacerdotes e religiosos sob a influência do demónio, e a consequente apostasia entre os fiéis que ficaram privados dos seus pastores. 

Recordemos as palavras da Irmã Lúcia: 

“O demónio sabe que os religiosos e sacerdotes que abandonam a sua bela vocação arrastam numerosas almas ao inferno.”121

Ora bem, a visão do “Bispo vestido de branco” não contém qualquer indicação de uma tal apostasia na Igreja. Não contém quaisquer palavras que possam explicar o seu conteúdo, a não ser a única palavra do Anjo, repetida três vezes: Penitência! É, portanto, razoável concluir que o Papa estava aqui a revelar indiretamente as palavras da Santíssima Virgem que explicavam a visão, tal como estão no texto do Segredo que ainda está para ser revelado. Socci sublinha que tanto a Irmã Lúcia como Paulo VI e João Paulo II ligaram o Terceiro Segredo ao Apocalipse, o que “não pode ser por acaso”, devendo antes indicar “uma ligação estrita entre o livro profético do Apóstolo S. João e o Terceiro Segredo.”


Resumindo, antes da publicação pelo Vaticano da visão do “Bispo vestido de branco” em 26 de Junho de 2000, já havia uma grande quantidade de provas de que o texto do Terceiro Segredo incluía:

Um “aviso divino” sobre alterações “suicidas” na liturgia, teologia e alma da Igreja (o futuro Pio XII em 1931); • uma predição de que, depois de 1960, “o demónio consegue deixar as almas dos fiéis desamparadas pelos seus chefes”, fazendo com que “religiosos e sacerdotes [abandonem] a sua bela vocação, [arrastando] numerosas almas ao inferno”, e que “muitas nações desaparecerão da face da terra” (a Irmã Lúcia ao Padre Fuentes em 1957); • um conteúdo tão “melindroso” que não podia deixar-se que “caísse, por qualquer razão, mesmo fortuita, nas mãos erradas” (Cardeal Ottaviani em 1967); 

• um texto “diplomaticamente” retido por causa da “gravidade do conteúdo”, e que prediz, para depois de 1980, “grandes trabalhos” e “tribulações” para a Igreja, que “já não é possível evitar”, e a destruição de “áreas inteiras da terra”, de modo que “milhões de pessoas morrerão de um momento para o outro” (João Paulo II em Fulda, 1980); • pormenores que podiam ser “mal interpretados” (João Paulo II em 1982); • uma “profecia religiosa” de “perigos que ameaçam a Fé e a vvida do Cristão e, consequentemente, o mundo” (Cardeal Ratzinger em 1984); • matéria que poderia levar a “uma utilização sensacionalista do conteúdo” (Cardeal Ratzinger em 1985); 

• uma predição de apostasia na Igreja que “começará pelo cimo” (Cardeal Ciappi em 1995); • “pormenores” que causariam “desequilíbrio” na Igreja (Cardeal Ratzinger em 1996); • um aviso de castigo material do mundo a acompanhar a grande apostasia da Igreja, como foi predito na aparição aprovada de Nossa Senhora de Akita em 1973, cuja mensagem é “essencialmente a mesma” de Nossa Senhora de Fátima (Cardeal Ratzinger a Howard Dee, como foi relatado em 1998); • um aviso para evitar a “cauda do dragão” (o demónio) a que se refere o Livro do Apocalipse (12:3-4), que varre a terça parte das “estrelas” (sacerdotes e outras almas consagradas) do Céu (das suas vocações) (João Paulo II em 2000).


Santo Padre Paulo VI - Peregrinação à Fátima


Continua - Parte IV - A mensagem de Nossa Senhora em Akita 1973



quarta-feira, 24 de maio de 2017

Estudos Marianos - Terceiro Segredo de Fátima - Parte II



O Segredo por revelar S. João Paulo II – 1982 

Em 13 de Maio de 1982, durante a sua viagem a Fátima a seguir à tentativa de assassínio, o Papa João Paulo II ligou novamente a Mensagem de Fátima a acontecimentos apocalípticos não mencionados nas duas primeiras partes. No seu sermão, citado mais atrás, o Papa revelou que Nossa Senhora de Fátima tinha dado o que Pio XII chamara “um aviso divino” sobre um ataque aos dogmas da Fé: Poderá a Mãe, que deseja a salvação de todos os homens, com toda a força do seu amor que alimenta no Espírito Santo, poderá Ela ficar calada acerca daquilo que mina as próprias bases desta salvação? Não, não pode!” ( Homilia no Santuário da Virgem de Fátima, 13 de Maio de 1982 em http://www. portal.ecclesia.pt/fatima/1982_2.htm).



Confira na íntegra a Homilia de S.João Paulo II
Por ocasião de sua visita ao Santuário de Fátima



S.Santidade o Papa São João Paulo II diante da Imagem Milagrosa
créditos: ACI Digital

Estas “bases” da salvação devem referir-se à aceitação firme da Fé Católica, como se encontra nos ensinamentos dogmáticos da Igreja e nos Sacramentos, que são os meios pelos quais se salvam as almas. Assim, embora de forma velada, o Papa estava a ligar a Mensagem de Fátima a uma ameaça ao dogma e à disciplina da Igreja, tal como o futuro Pio XII fez em 1931. Mas onde está este aviso na Mensagem? De certeza não está nas partes que já em 1982 tinham sido publicadas. Durante a mesma viagem a Fátima, João Paulo II discutiu com a Irmã Lúcia a razão por que o Terceiro Segredo ainda não tinha sido revelado. 

Quando o Cardeal Oddi se encontrava em Fátima em 13 de Maio de 1985, para a celebração anual das aparições, a Irmã Lúcia informou-o de que o Papa lhe dissera que o Segredo não tinha sido divulgado “porque podia ser mal interpretado.” Aqui o Papa deu mais uma pista de que o Segredo podia ser embaraçoso para as autoridades da Igreja, por dizer respeito a uma crise de Fé e disciplina de que elas próprias são responsáveis. Bispo D. Alberto Cosme do Amaral – 1984 Em 10 de Setembro de 1984, D. Alberto Cosme do Amaral, Bispo de Leiria-Fátima, sublinhou a predição do Segredo de uma apostasia na Igreja. Numa sessão de perguntas e respostas na Aula Magna da Universidade Técnica de Viena (Áustria), declarou claramente: “O seu conteúdo [do Terceiro Segredo] diz respeito unicamente à nossa Fé [...] A perda da Fé de um continente é pior do que a aniquilação de uma nação; e a verdade é que a Fé está continuamente a diminuir na Europa.”

Cardeal Ratzinger – 1984 


foto: http://suasantidadeopapabento.blogspot.com.br/2015

Em 11 de Novembro de 1984, numa entrevista à revista Jesus, o então Cardeal Ratzinger revelou que tinha lido o Terceiro Segredo e que este se referia a “perigos que ameaçam a Fé e a vida do Cristão e, consequentemente, o mundo”. É sabido que as duas primeiras partes do Segredo não se referem a “perigos que ameaçam a Fé”, mas sim a perigos que correm o Papa e outros crentes, na forma de guerras e perseguições à Igreja por inimigos externos. 

O Cardeal revelou ainda que 

“o conteúdo deste ‘Terceiro Segredo’ corresponde ao que é anunciado nas Sagradas Escrituras e que tem sido dito, muitas e muitas vezes, em várias outras aparições marianas...” 

A respeito de o Segredo não ter sido publicado, disse o Cardeal: “ Se [o Segredo] não foi tornado público – pelo menos por agora – foi para impedir que a profecia religiosa viesse a descambar no sensacionalismo… Porém, contradizendo-se aparentemente, o Cardeal acrescentou que o Segredo não tinha sido revelado porque, “segundo a apreciação dos Papas, [o Segredo] não acrescenta nada de novo àquilo que cada Cristão deve saber com respeito à Revelação ...” Um segredo que “não acrescenta nada” ao que um Cristão deve saber não seria “sensacional”; com efeito, nem sequer seria um segredo. Então, por que razão em 1960 o texto do Segredo foi colocado “para sempre sob absoluto sigilo”? A sugestão do Cardeal, de que o Segredo não contém nada que não saibamos já, não se coaduna com a maneira como o Vaticano o tem tratado há décadas. 

O Cardeal Ratzinger e Nossa Senhora de Akita 




Irmã Agnes Katsuko Sasagawa - Yuzawadai (Akita) 1973
Vidente de Nossa Senhora


 À esquerda  S.Ex. Bispo John Shojiro Ito (* 1909 + 1993) 
Bispo Emérito Diocesano de Niigata, (* 1909 + 1993) que reconheceu oficialmente a veracidade das visões de N. Senhora de Akita.

A ligação que o Cardeal faz da “profecia religiosa” do Terceiro Segredo a “outras aparições marianas” na sua entrevista de 1984 é abundantemente reveladora. A aparição de Nossa Senhora de Akita à freira japonesa Irmã Agnes Katsuko Sasagawa em 13 de Outubro de 1973 – aniversário do Milagre do Sol – foi considerada autêntica e fidedigna depois de uma investigação conduzida pelo Bispo John Shojiro Ito, da Diocese de Niigata. 

Eis o que Nossa Senhora disse à Irmã Agnes: 

"Como te disse, se os homens não se arrependerem e melhorarem o seu comportamento, o Pai inflingirá em toda a humanidade um terrível castigo... 

...Será um castigo maior do que o dilúvio, um que ninguém viu antes. Cairá fogo do céu e destruirá grande parte da humanidade, tanto os bons como os maus, e nem padres nem fiéis serão poupados. Os sobreviventes sentir-se-ão tão desolados que terão inveja dos mortos.As únicas armas que vos restarão serão o Rosário e o Sinal deixado pelo Meu Filho... 

Rezai as orações do Rosário todos os dias. Com o Rosário, rezai pelo Papa, pelos Bispos e pelos sacerdotes.

Continua - parte III...aguarde.

Não perca - parte IV matéria sobre as Mensagens de N. Sra de Akita


Fonte: http://www.secretstillhidden.com/pt

terça-feira, 23 de maio de 2017

Estudos Marianos - Terceiro Segredo de Fátima - Parte I



Estudos Marianos - O Terceiro Segredo de Fátima 
Primeira Parte




Em 26 de Dezembro de 1957,o então postulador das causas de beatificação de Francisco e Jacinta Marto, Padre Agustín Fuentes, encontrou-se com a Irmã Lúcia no seu convento em Coimbra. Depois de falar com Lúcia, o Padre Fuentes publicou um relatório do encontro com “todas as garantias de autenticidade e com aprovação episcopal, incluindo a do Bispo de Fátima”.

Ao falar com o Padre Fuentes, a Irmã Lúcia concentrou-se na data de 1960, que se ia aproximando, e num castigo ainda maior do que a 2ª Guerra Mundial e a propagação do Comunismo, que já era manifesta – castigo este que ela revela estar predito no Terceiro Segredo: "Senhor Padre, a Santíssima Virgem está muito triste, por ninguém fazer caso da Sua Mensagem, nem os bons nem os maus: os bons, porque continuam no seu caminho de bondade, mas sem fazer caso desta Mensagem; os maus, porque, não vendo que o castigo de Deus já paira sobre eles por causa dos seus pecados, continuam também no seu caminho de maldade, sem fazer caso desta Mensagem. Mas – creia-me, Senhor Padre – Deus vai castigar o mundo, e vai castigá-lo de uma maneira tremenda. O castigo do Céu está iminente... Senhor Padre, o que falta para 1960? E o que sucederá então? Será uma coisa muito triste para todos, não uma coisa alegre, se, antes, o mundo não fizer oração e penitência." 

Não posso detalhar mais, uma vez que é ainda um segredo... É a terceira parte da Mensagem de Nossa Senhora, que ainda permanece em segredo até essa data de 1960.(01) 



"A Santíssima Virgem repetidas vezes – tanto aos meus primos Francisco e Jacinta como a mim – nos disse: ‘Que muitas nações desaparecerão da face da terra, que a Rússia seria o instrumento do castigo do Céu para todo o mundo, se antes não alcançássemos a conversão dessa pobre Nação" (...)

. Senhor Padre, o demónio está travando uma batalha decisiva contra a Virgem Maria. E como sabe que é o que mais ofende a Deus e o que, em menos tempo, lhe fará ganhar um maior número de almas, trata de ganhar para si as almas consagradas a Deus, pois que desta maneira deixa também o campo das almas desamparado e mais facilmente se apodera delas. O que aflige o Coração Imaculado de Maria e o Coração de Jesus é a queda das almas religiosas e sacerdotais. O demónio sabe que os religiosos e sacerdotes que abandonam a sua bela vocação arrastam numerosas almas ao inferno. (…) O demónio quer tomar posse das almas consagradas. Tenta corrompê-las para adormecer as almas dos leigos e desse modo conduzi-los à impenitência final (…) Por isso, Senhor Padre, a minha missão não é indicar ao mundo os castigos materiais que decerto virão sobre a terra se, antes, o mundo não fizer oração e penitência. Não! A minha missão é indicar a todos o perigo iminente em que estamos de perder para sempre a nossa alma, se persistirmos em continuar agarrados ao pecado." 

Não há referência a um ataque diabólico contra as almas consagradas nas primeiras duas partes da Mensagem de Fátima. No entanto, Lúcia aqui claramente relaciona este ataque com “a terceira parte da Mensagem de Nossa Senhora, que ainda permanece em segredo até essa data de 1960”. Desta maneira, a Irmã Lúcia quase confirmou que, dentro do “etc” que colocou no fim da referência de Nossa Senhora à conservação do dogma em Portugal, se encontra uma profecia do Céu sobre a apostasia na Igreja Católica. 

Note-se também que a Irmã Lúcia – depois da 2ª Guerra Mundial e da expansão do Comunismo internacional – avisou-nos sobre 

“os castigos materiais que decerto virão sobre a terra se, antes, o mundo não fizer oração e penitência”. 



Lúcia mostra assim que o Terceiro Segredo prevê castigos paralelos: espiritual e material. A perda da Fé na Igreja seria acompanhada de castigos temporais sobre todo o mundo. Apesar de uma campanha eclesiástica para destruir o seu bom nome, o Padre Fuentes acabaria por ser justificado. Em 1976, o arquivista oficial de Fátima, Padre Joaquín Alonso (que tinha sido persuadido durante algum tempo que a entrevista de Fuentes era falsa), concluiu, a partir da sua revisão dos arquivos de Fátima, que a entrevista “não contém nada que a Irmã Lúcia não tenha já dito nos seus numerosos escritos publicados.”

De fato, não continha nada que, em substância, o próprio Pio XII, então Cardeal Pacelli, não tivesse já ligado à profecia de Fátima. Pouco depois da publicação da entrevista do Padre Fuentes, a Irmã Lúcia foi silenciada por ordem do Vaticano. Acabaram-se as entrevistas livres, assim como as visitas de pessoas que não fossem previamente aprovadas por Roma. Socci comenta que, a partir de 1960, “a Irmã Lúcia podia receber, de fato, apenas familiares e pessoas que viessem autorizadas pelo Vaticano”. Socci chama a isto um “silenciamento inexplicável” da “única testemunha viva” das aparições, e “um dos paradoxos mais incompreensíveis de Fátima.” 

Depois de 1960, seria apenas através das suas cartas e de alguns encontros limitados, aprovados ou ocasionais, que Lúcia conseguia comunicar este ou aquele pormenor do que aqui nos interessa. Padre Joaquín Alonso – 1965 Como arquivista oficial de Fátima, o Padre Alonso tinha acesso sem restrições à Irmã Lúcia e aos seus volumosos escritos, e conseguiu ter inúmeros encontros com a vidente. Baseado no que a Irmã Lúcia disse e escreveu, o Padre Alonso chegou às seguintes conclusões sobre o que se seguiria ao misterioso “etc”: Se ‘em Portugal se conservará sempre o dogma da Fé’ [...] pode claramente deduzir-se destas palavras que, em outros lugares da Igreja, estes dogmas vão tornar-se obscuros ou chegarão mesmo a perder-se. Assim, é muito possível que, neste período intermédio que está em questão (depois de 1960 e antes do triunfo do Coração Imaculado de Maria), o texto se refira concretamente à crise da Fé na Igreja e à negligência  dos Seus próprios Pastores [e às] lutas intestinas no seio da própria Igreja e de graves negligências pastorais por parte das altas hierarquias.”


Noutro local, o Padre Alonso resumiu assim as suas conclusões: “Será, então, de toda a probabilidade que o texto faça referências concretas à crise de Fé na Igreja e à negligência dos Seus próprios Pastores [e às] lutas intestinas no seio da própria Igreja e de graves negligências pastorais por parte das altas hierarquias.”Irmã Lúcia – depois de 1960 Mesmo depois de ter recebido ordens para não receber visitas que não tivessem sido aprovadas pelo Vaticano, a Irmã Lúcia escreveu muitas vezes a pessoas de confiança sobre uma “desorientação diabólica” na Igreja e no mundo, sobre a qual Nossa Senhora já a tinha avisado. Por exemplo: É a desorientação diabólica que invade o mundo e engana as almas![...]É que o demónio tem conseguido infiltrar o mal, com capa de bem, e andam cegos a guiar outros cegos [...] E o pior é que tem conseguido iludir e enganar almas cheias de responsabilidade, pelo lugar que ocupam! [...] São cegos a guiar outros cegos! [...] Deixam-se ser dominados pela onda diabólica que invade o mundo...

Ainda mais dramático foi quando perguntaram à Irmã Lúcia qual era o conteúdo do Terceiro Segredo, e ela respondeu simplesmente: 

“Está no Evangelho e no Apocalipse. 

O Cardeal Ottaviani, na altura Pró-Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé (que tinha substituído o Santo Ofício), disse "O Segredo" por revelar que o Terceiro Segredo não fora revelado “para evitar que algo tão melindroso, não destinado para o público em geral, caísse por qualquer razão, mesmo fortuita, nas mãos erradas.”Que teria o Segredo de tão “melindroso” que o Vaticano até receava que caísse “nas mãos erradas”? 

A partir da evidência já discutida, temos uma boa ideia da resposta a essa pergunta. Papa Paulo VI – 1967 Em 13 de Maio de 1967, durante a sua viagem a Fátima, Paulo VI apresentou a sua encíclica Signum Magnum, cujo início, de acordo com a revelação da Irmã Lúcia acima mencionada, liga as aparições de Nossa Senhora de Fátima ao Capítulo 12 do Livro do Apocalipse:

“O grande sinal que o Apóstolo João viu no Céu, ‘uma mulher vestida com o Sol’, é interpretado pela sagrada Liturgia, não sem fundamento, como referindo-se à Maria Santíssima, Mãe de todos os homens pela graça de Cristo Redentor.” Não pode ter sido por acaso que Paulo VI escolheu a ocasião do seu sermão em Fátima, nesta data, para lamentar que a “renovação” da Igreja depois do Vaticano II estivesse a correr mal: 

“Que mal seria se uma interpretação arbitrária e não autorizada pelo magistério da Igreja transformasse este renascimento espiritual numa inquietação que desagregasse a sua estrutura tradicional e constitucional...” 

Acrescentando o tema do castigo material ao castigo espiritual que era evidente que estava já em progresso, Paulo VI declarou: “É por este motivo que dizemos estar o Mundo em perigo. Por este motivo, viemos Nós aos pés da Rainha da paz pedir-lhe a paz, dom que só Deus pode dar... Homens, pensai na gravidade e na grandeza desta hora, que pode ser decisiva para a história da geração presente e futura...” Note-se bem a ligação que o Papa Paulo fez – em Fátima – entre a crise da Igreja e o perigo para todo o mundo. João Paulo II – 1980 Treze anos mais tarde, o Papa João Paulo II fez a mesma ligação. 

Num encontro com um grupo escolhido de intelectuais católicos em Fulda, na Alemanha, perguntaram ao Papa: “E o Terceiro Segredo de Fátima? Não devia ter já sido publicado por volta de 1960?” O Papa respondeu: Dada a gravidade do conteúdo, os meus predecessores no cargo petrino preferiram diplomaticamente adiar a publicação, para não encorajar o poder mundial do Comunismo a tomar certas atitudes. Por outro lado, devia bastar que todos os Cristãos soubessem isto: se há uma mensagem em que está escrito que os oceanos inundarão áreas inteiras da terra, e que milhões de pessoas morrerão de um momento para outro, a publicação dessa mensagem deixa de ser algo que seja muito desejado...

Perguntaram então ao Papa: “O que irá acontecer à Igreja?” A esta pergunta, o Papa respondeu: 

"Devemos preparar-nos para sofrer num futuro próximo grandes tribulações, que serão tais que exigirão de nós uma disposição de até dar a própria vida, e uma dedicação total a Cristo e por Cristo... Com as vossas e as minhas orações é possível mitigar esta tribulação, mas já não é possível evitá-la, porque só assim a Igreja pode ser efetivamente renovada." 

Quantas vezes aconteceu que a renovação da Igreja partiu do sangue! Também desta vez não será de outra maneira. Devemos ser fortes e estar preparados, e confiar em Cristo e na Sua Mãe, e rezar o Rosário com muita, muita assiduidade. Assim, o Papa avisava-nos em 1980 de um castigo tanto material como espiritual, em ligação com o seu comentário do Terceiro Segredo. 


Em 13 de Maio de 1982, durante a sua viagem a Fátima a seguir à tentativa de assassínio, o Papa João Paulo II ligou novamente a Mensagem de Fátima a acontecimentos apocalípticos não mencionados nas duas primeiras partes. 

No seu sermão, que já citei mais atrás, o Papa revelou que Nossa Senhora de Fátima tinha dado o que Pio XII chamara “um aviso divino” sobre um ataque aos dogmas da Fé: 

Poderá a Mãe, que deseja a salvação de todos os homens, com toda a força do seu amor que alimenta no Espírito Santo, poderá Ela ficar calada acerca daquilo que mina as próprias bases desta salvação? Não, não pode!”



ORAÇÃO DE NOSSA SENHORA

A vidente Lúcia (Irmã Lúcia) conta que Nossa Senhora em 13 de Julho de 1917 recomendou: “Sacrificai-vos pelos pecadores e dizei muitas vezes, em especial sempre que fizerdes algum sacrifício: Ó Jesus, é por Vosso amor, pela conversão dos pecadores e em reparação pelos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria!”

Na mesma aparição, Nossa Senhora acrescentou:

“Quando rezais o terço, dizei depois de cada mistério: Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno; levai as almas todas para o Céu, principalmente as que mais precisarem”.


CONSAGRAÇÃO AO CORAÇÃO IMACULADO DE MARIA


Virgem Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, ao Vosso Coração Imaculado nos consagramos, em ato de entrega total ao Senhor. Por Vós seremos levados a Cristo. Por Ele e com Ele seremos levados ao Pai. Caminharemos à luz da fé e faremos tudo para que o mundo creia que Jesus Cristo é o Enviado do Pai. Com Ele queremos levar o Amor e a Salvação até aos confins do mundo. Sob a proteção do Vosso Coração Imaculado seremos um só povo com Cristo. Seremos testemunhas da Sua ressurreição. Por Ele seremos levados ao Pai, para glória da Santíssima Trindade, a Quem adoramos, louvamos e bendizemos. Amém.



continua...

(01) "Alonso, La verdad sobre el Secreto de Fátima, pp. 110-111; citado em WTAF, Vol. III, p. 503. O Imprimatur foi concedido pelo Arcebispo Sánchez, de Veracruz (México). Ibid. 92 Ibid., pp. 103-106; citado em WTAF, Vol. III, pp. 504-508; e em Francis Alban e Christopher A. Ferrara, Fatima Priest (Pound Ridge, New York: Good Counsel Publications, 1997, 2ª edição), pp. 295-298 (também em http://www.fatimapriest.com/ Appendix3.htm), em inglês. http://www.secretstillhidden.com/pt/pdf/capitulo3.pdf"

(02) 97 Alonso, La verdad sobre el Secreto de Fátima, pp. 75, 80, 81; citado em WTAF, Vol. III, p. 704.

fonte: http://www.secretstillhidden.com

Pedidos de Oração