Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, 23 de maio de 2017

Estudos Marianos - Terceiro Segredo de Fátima - Parte I



Estudos Marianos - O Terceiro Segredo de Fátima 
Primeira Parte




Em 26 de Dezembro de 1957,o então postulador das causas de beatificação de Francisco e Jacinta Marto, Padre Agustín Fuentes, encontrou-se com a Irmã Lúcia no seu convento em Coimbra. Depois de falar com Lúcia, o Padre Fuentes publicou um relatório do encontro com “todas as garantias de autenticidade e com aprovação episcopal, incluindo a do Bispo de Fátima”.

Ao falar com o Padre Fuentes, a Irmã Lúcia concentrou-se na data de 1960, que se ia aproximando, e num castigo ainda maior do que a 2ª Guerra Mundial e a propagação do Comunismo, que já era manifesta – castigo este que ela revela estar predito no Terceiro Segredo: "Senhor Padre, a Santíssima Virgem está muito triste, por ninguém fazer caso da Sua Mensagem, nem os bons nem os maus: os bons, porque continuam no seu caminho de bondade, mas sem fazer caso desta Mensagem; os maus, porque, não vendo que o castigo de Deus já paira sobre eles por causa dos seus pecados, continuam também no seu caminho de maldade, sem fazer caso desta Mensagem. Mas – creia-me, Senhor Padre – Deus vai castigar o mundo, e vai castigá-lo de uma maneira tremenda. O castigo do Céu está iminente... Senhor Padre, o que falta para 1960? E o que sucederá então? Será uma coisa muito triste para todos, não uma coisa alegre, se, antes, o mundo não fizer oração e penitência." 

Não posso detalhar mais, uma vez que é ainda um segredo... É a terceira parte da Mensagem de Nossa Senhora, que ainda permanece em segredo até essa data de 1960.(01) 



"A Santíssima Virgem repetidas vezes – tanto aos meus primos Francisco e Jacinta como a mim – nos disse: ‘Que muitas nações desaparecerão da face da terra, que a Rússia seria o instrumento do castigo do Céu para todo o mundo, se antes não alcançássemos a conversão dessa pobre Nação" (...)

. Senhor Padre, o demónio está travando uma batalha decisiva contra a Virgem Maria. E como sabe que é o que mais ofende a Deus e o que, em menos tempo, lhe fará ganhar um maior número de almas, trata de ganhar para si as almas consagradas a Deus, pois que desta maneira deixa também o campo das almas desamparado e mais facilmente se apodera delas. O que aflige o Coração Imaculado de Maria e o Coração de Jesus é a queda das almas religiosas e sacerdotais. O demónio sabe que os religiosos e sacerdotes que abandonam a sua bela vocação arrastam numerosas almas ao inferno. (…) O demónio quer tomar posse das almas consagradas. Tenta corrompê-las para adormecer as almas dos leigos e desse modo conduzi-los à impenitência final (…) Por isso, Senhor Padre, a minha missão não é indicar ao mundo os castigos materiais que decerto virão sobre a terra se, antes, o mundo não fizer oração e penitência. Não! A minha missão é indicar a todos o perigo iminente em que estamos de perder para sempre a nossa alma, se persistirmos em continuar agarrados ao pecado." 

Não há referência a um ataque diabólico contra as almas consagradas nas primeiras duas partes da Mensagem de Fátima. No entanto, Lúcia aqui claramente relaciona este ataque com “a terceira parte da Mensagem de Nossa Senhora, que ainda permanece em segredo até essa data de 1960”. Desta maneira, a Irmã Lúcia quase confirmou que, dentro do “etc” que colocou no fim da referência de Nossa Senhora à conservação do dogma em Portugal, se encontra uma profecia do Céu sobre a apostasia na Igreja Católica. 

Note-se também que a Irmã Lúcia – depois da 2ª Guerra Mundial e da expansão do Comunismo internacional – avisou-nos sobre 

“os castigos materiais que decerto virão sobre a terra se, antes, o mundo não fizer oração e penitência”. 



Lúcia mostra assim que o Terceiro Segredo prevê castigos paralelos: espiritual e material. A perda da Fé na Igreja seria acompanhada de castigos temporais sobre todo o mundo. Apesar de uma campanha eclesiástica para destruir o seu bom nome, o Padre Fuentes acabaria por ser justificado. Em 1976, o arquivista oficial de Fátima, Padre Joaquín Alonso (que tinha sido persuadido durante algum tempo que a entrevista de Fuentes era falsa), concluiu, a partir da sua revisão dos arquivos de Fátima, que a entrevista “não contém nada que a Irmã Lúcia não tenha já dito nos seus numerosos escritos publicados.”

De fato, não continha nada que, em substância, o próprio Pio XII, então Cardeal Pacelli, não tivesse já ligado à profecia de Fátima. Pouco depois da publicação da entrevista do Padre Fuentes, a Irmã Lúcia foi silenciada por ordem do Vaticano. Acabaram-se as entrevistas livres, assim como as visitas de pessoas que não fossem previamente aprovadas por Roma. Socci comenta que, a partir de 1960, “a Irmã Lúcia podia receber, de fato, apenas familiares e pessoas que viessem autorizadas pelo Vaticano”. Socci chama a isto um “silenciamento inexplicável” da “única testemunha viva” das aparições, e “um dos paradoxos mais incompreensíveis de Fátima.” 

Depois de 1960, seria apenas através das suas cartas e de alguns encontros limitados, aprovados ou ocasionais, que Lúcia conseguia comunicar este ou aquele pormenor do que aqui nos interessa. Padre Joaquín Alonso – 1965 Como arquivista oficial de Fátima, o Padre Alonso tinha acesso sem restrições à Irmã Lúcia e aos seus volumosos escritos, e conseguiu ter inúmeros encontros com a vidente. Baseado no que a Irmã Lúcia disse e escreveu, o Padre Alonso chegou às seguintes conclusões sobre o que se seguiria ao misterioso “etc”: Se ‘em Portugal se conservará sempre o dogma da Fé’ [...] pode claramente deduzir-se destas palavras que, em outros lugares da Igreja, estes dogmas vão tornar-se obscuros ou chegarão mesmo a perder-se. Assim, é muito possível que, neste período intermédio que está em questão (depois de 1960 e antes do triunfo do Coração Imaculado de Maria), o texto se refira concretamente à crise da Fé na Igreja e à negligência  dos Seus próprios Pastores [e às] lutas intestinas no seio da própria Igreja e de graves negligências pastorais por parte das altas hierarquias.”


Noutro local, o Padre Alonso resumiu assim as suas conclusões: “Será, então, de toda a probabilidade que o texto faça referências concretas à crise de Fé na Igreja e à negligência dos Seus próprios Pastores [e às] lutas intestinas no seio da própria Igreja e de graves negligências pastorais por parte das altas hierarquias.”Irmã Lúcia – depois de 1960 Mesmo depois de ter recebido ordens para não receber visitas que não tivessem sido aprovadas pelo Vaticano, a Irmã Lúcia escreveu muitas vezes a pessoas de confiança sobre uma “desorientação diabólica” na Igreja e no mundo, sobre a qual Nossa Senhora já a tinha avisado. Por exemplo: É a desorientação diabólica que invade o mundo e engana as almas![...]É que o demónio tem conseguido infiltrar o mal, com capa de bem, e andam cegos a guiar outros cegos [...] E o pior é que tem conseguido iludir e enganar almas cheias de responsabilidade, pelo lugar que ocupam! [...] São cegos a guiar outros cegos! [...] Deixam-se ser dominados pela onda diabólica que invade o mundo...

Ainda mais dramático foi quando perguntaram à Irmã Lúcia qual era o conteúdo do Terceiro Segredo, e ela respondeu simplesmente: 

“Está no Evangelho e no Apocalipse. 

O Cardeal Ottaviani, na altura Pró-Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé (que tinha substituído o Santo Ofício), disse "O Segredo" por revelar que o Terceiro Segredo não fora revelado “para evitar que algo tão melindroso, não destinado para o público em geral, caísse por qualquer razão, mesmo fortuita, nas mãos erradas.”Que teria o Segredo de tão “melindroso” que o Vaticano até receava que caísse “nas mãos erradas”? 

A partir da evidência já discutida, temos uma boa ideia da resposta a essa pergunta. Papa Paulo VI – 1967 Em 13 de Maio de 1967, durante a sua viagem a Fátima, Paulo VI apresentou a sua encíclica Signum Magnum, cujo início, de acordo com a revelação da Irmã Lúcia acima mencionada, liga as aparições de Nossa Senhora de Fátima ao Capítulo 12 do Livro do Apocalipse:

“O grande sinal que o Apóstolo João viu no Céu, ‘uma mulher vestida com o Sol’, é interpretado pela sagrada Liturgia, não sem fundamento, como referindo-se à Maria Santíssima, Mãe de todos os homens pela graça de Cristo Redentor.” Não pode ter sido por acaso que Paulo VI escolheu a ocasião do seu sermão em Fátima, nesta data, para lamentar que a “renovação” da Igreja depois do Vaticano II estivesse a correr mal: 

“Que mal seria se uma interpretação arbitrária e não autorizada pelo magistério da Igreja transformasse este renascimento espiritual numa inquietação que desagregasse a sua estrutura tradicional e constitucional...” 

Acrescentando o tema do castigo material ao castigo espiritual que era evidente que estava já em progresso, Paulo VI declarou: “É por este motivo que dizemos estar o Mundo em perigo. Por este motivo, viemos Nós aos pés da Rainha da paz pedir-lhe a paz, dom que só Deus pode dar... Homens, pensai na gravidade e na grandeza desta hora, que pode ser decisiva para a história da geração presente e futura...” Note-se bem a ligação que o Papa Paulo fez – em Fátima – entre a crise da Igreja e o perigo para todo o mundo. João Paulo II – 1980 Treze anos mais tarde, o Papa João Paulo II fez a mesma ligação. 

Num encontro com um grupo escolhido de intelectuais católicos em Fulda, na Alemanha, perguntaram ao Papa: “E o Terceiro Segredo de Fátima? Não devia ter já sido publicado por volta de 1960?” O Papa respondeu: Dada a gravidade do conteúdo, os meus predecessores no cargo petrino preferiram diplomaticamente adiar a publicação, para não encorajar o poder mundial do Comunismo a tomar certas atitudes. Por outro lado, devia bastar que todos os Cristãos soubessem isto: se há uma mensagem em que está escrito que os oceanos inundarão áreas inteiras da terra, e que milhões de pessoas morrerão de um momento para outro, a publicação dessa mensagem deixa de ser algo que seja muito desejado...

Perguntaram então ao Papa: “O que irá acontecer à Igreja?” A esta pergunta, o Papa respondeu: 

"Devemos preparar-nos para sofrer num futuro próximo grandes tribulações, que serão tais que exigirão de nós uma disposição de até dar a própria vida, e uma dedicação total a Cristo e por Cristo... Com as vossas e as minhas orações é possível mitigar esta tribulação, mas já não é possível evitá-la, porque só assim a Igreja pode ser efetivamente renovada." 

Quantas vezes aconteceu que a renovação da Igreja partiu do sangue! Também desta vez não será de outra maneira. Devemos ser fortes e estar preparados, e confiar em Cristo e na Sua Mãe, e rezar o Rosário com muita, muita assiduidade. Assim, o Papa avisava-nos em 1980 de um castigo tanto material como espiritual, em ligação com o seu comentário do Terceiro Segredo. 


Em 13 de Maio de 1982, durante a sua viagem a Fátima a seguir à tentativa de assassínio, o Papa João Paulo II ligou novamente a Mensagem de Fátima a acontecimentos apocalípticos não mencionados nas duas primeiras partes. 

No seu sermão, que já citei mais atrás, o Papa revelou que Nossa Senhora de Fátima tinha dado o que Pio XII chamara “um aviso divino” sobre um ataque aos dogmas da Fé: 

Poderá a Mãe, que deseja a salvação de todos os homens, com toda a força do seu amor que alimenta no Espírito Santo, poderá Ela ficar calada acerca daquilo que mina as próprias bases desta salvação? Não, não pode!”



ORAÇÃO DE NOSSA SENHORA

A vidente Lúcia (Irmã Lúcia) conta que Nossa Senhora em 13 de Julho de 1917 recomendou: “Sacrificai-vos pelos pecadores e dizei muitas vezes, em especial sempre que fizerdes algum sacrifício: Ó Jesus, é por Vosso amor, pela conversão dos pecadores e em reparação pelos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria!”

Na mesma aparição, Nossa Senhora acrescentou:

“Quando rezais o terço, dizei depois de cada mistério: Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno; levai as almas todas para o Céu, principalmente as que mais precisarem”.


CONSAGRAÇÃO AO CORAÇÃO IMACULADO DE MARIA


Virgem Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, ao Vosso Coração Imaculado nos consagramos, em ato de entrega total ao Senhor. Por Vós seremos levados a Cristo. Por Ele e com Ele seremos levados ao Pai. Caminharemos à luz da fé e faremos tudo para que o mundo creia que Jesus Cristo é o Enviado do Pai. Com Ele queremos levar o Amor e a Salvação até aos confins do mundo. Sob a proteção do Vosso Coração Imaculado seremos um só povo com Cristo. Seremos testemunhas da Sua ressurreição. Por Ele seremos levados ao Pai, para glória da Santíssima Trindade, a Quem adoramos, louvamos e bendizemos. Amém.



continua...

(01) "Alonso, La verdad sobre el Secreto de Fátima, pp. 110-111; citado em WTAF, Vol. III, p. 503. O Imprimatur foi concedido pelo Arcebispo Sánchez, de Veracruz (México). Ibid. 92 Ibid., pp. 103-106; citado em WTAF, Vol. III, pp. 504-508; e em Francis Alban e Christopher A. Ferrara, Fatima Priest (Pound Ridge, New York: Good Counsel Publications, 1997, 2ª edição), pp. 295-298 (também em http://www.fatimapriest.com/ Appendix3.htm), em inglês. http://www.secretstillhidden.com/pt/pdf/capitulo3.pdf"

(02) 97 Alonso, La verdad sobre el Secreto de Fátima, pp. 75, 80, 81; citado em WTAF, Vol. III, p. 704.

fonte: http://www.secretstillhidden.com

Nenhum comentário:

Deixe aqui o seu Comentário